10 dezembro 2014

Um viva a Bahia de Jorge Amado



Ao viajar pela obra de Jorge Amado, é impossível não desejarmos compartilhar das mesas de seus personagens, provar os gostos, os aromas e os temperos saídos das panelas de dona Flor ou de Gabriela. Em seus romances, o escritor utilizou os sabores para captar melhor a atmosfera de sua Bahia, e conquistou-nos com essas comidas tão reais que podíamos sentir seus perfumes. Paloma, filha de Jorge, foi enfeitiçada por essas iguarias, que muitas vezes provou na mesa farta da casa do Rio Vermelho. Mergulhou, então, na obra de seu pai, e dela extraiu pratos saborosos que, ao lado de algumas das receitas favoritas de Jorge Amado, sempre presentes nas refeições do dia-a-dia, juntou neste livro. Pratos para se degustar da introdução ao epílogo, da entrada à sobremesa, e depois fazer a digestão numa rede, embalado pelo arrulho do mar da Bahia e pelos últimos raios de um avermelhado sol poente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário