06 fevereiro 2015

No passado...



O alho-poró, cujo nome científico é Allium porrum, talvez seja de uso na gastronomia mais antigo que a cebola. Apareceu como um ingrediente em uma das receitas mais velhas do mundo, um ensopado de cordeiro e alho-poró gravado numa tábua babilônica de 4 mil anos.

Os gregos chamavam a planta de prasa, os árabes, de kurrats, e os romanos, que trouxeram o alho-poró para a Europa setentrional, de porrum. 

Os celtas, que fizeram de tudo para resistir aos invasores romanos, chamaram-no de cenhinen e adotaram-no como sua planta nacional. O motivo é um mistério, embora, dado seu amor pelas canções e orações, talvez estivesse associado às qualidades mucilaginosas, calmantes da garganta, do alho-poró.

Outra lenda é que os soldados prendiam alhos-porós no chapéu antes de uma batalha para poderem identificar uns aos outros.

Eu sou realmente fã de alho-poró, acho que fica delicioso num fricassé de frango e em uma quiche.

Beijos,


Nenhum comentário:

Postar um comentário