26 abril 2015

Dica de livro: Os cadernos de cozinha de Leonardo da Vinci


Dia desses, pesquisando sobre os acessórios de cozinha eu descobri que o grande Leonardo da Vinci era - além de excelente inventor, pintor, escultor - cozinheiro. Isso mesmo, ele adorava cozinhar e foi um dos primeiros vegetarianos assumidos da história. Ele era tão bom (em tudo que fazia), que chegou a ser mestre de banquetes da corte de Ludovico Scorza, senhor de Milão.

Da Vinci  fazia excelentes pratos e era entusiasta da higiene e capricho na mesa. Procurando saber mais dessa história fui atrás do Codex Romanoff, que seria o tal livro de cozinha e apontamentos escritos pelo italiano. 

Consegui encontrar a obra em um sebo virtual e assim que chegou na minha casa não resisti e devorei a leitura. 


Na verdade, o livro tem sua autenticidade contestada por muitos. É fato que Da Vinci deixou milhares de páginas com anotações de próprio punho espalhadas pelo mundo e que se perderam. Verdade ou não, o livro trás as esquisitas refeições da época renascentista e claro, algumas das ideias e invenções do mestre italiano e que até hoje utilizamos. 

Para quem não sabe: ele foi responsável pela invenção do guardanapo, do esmagador de alho, da máquina de fazer spaguetti e das tampas para as panelas. Além de muitos hábitos de como se comportar durante as refeições.

Separei esse trecho que acho super atual: 

"Sobre as exigências de uma cozinha:
Em primeiro lugar, é necessária uma fonte de calor constante, e, depois um abastecimento de água fervente. Um chão sempre limpo. Ferramentas para cortar, descascar, fatiar e moer. Também um artefato que afaste os cheiros e fedores de sua cozinha para obter um ambiente agradável e livre de fumaças. E, depois, música, já que os homens ficam mais felizes e trabalham melhor com música". 



Já que nessa semana, no último dia 23 de abril, comemoramos o dia mundial do livro, fica aqui a minha dica para quem ama literatura, história e principalmente comida!

Beijos, 
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário