15 março 2017

Inhotim: Visitou, deslumbrou!


O título desse post faz jus a tudo que eu ouvi antes, durante e depois de conhecer o Instituto Inhotim, o maior museu de arte contemporânea a céu aberto da América Latina.

Há anos eu queria fazer essa viagem para Brumadinho, cidade que abriga o Museu em Minas Gerais.  A visita é realmente indescritível, só indo pra sentir, viver e entender. A dimensão do lugar, e a relação das obras e das galerias com o espaço tornam a visita singular. E oh que de museu eu entendo e gosto, viu! Já percorri muitos por aqui e acolá! Mas esse tal de Inhotim, vou te dizer: tem algo que foge do óbvio.




Com certeza o mérito para tudo isso é da natureza. Extravagante, soberana, única. Ela é a própria obra, ela abriga a arte e transmuta nossos sentidos.

Em 2004 o espaço surgiu para a abrigar a coleção de Bernando Paz, empresário do ramo da mineração e siderurgia. Ele se desfez da coleção de obras modernistas, que incluía Portinari, Di Cavalcanti, Guignard,  para formar o acervo de arte contemporânea que hoje está exposto em Inhotim.


Mas só em 2006 ele foi oficialmente aberto ao público. O Museu abriga obras desde a década de 70 até a atualidade. Nele estão expostas criações de Adriana Varejão, Hélio Oiticica, Tunga, Lygia Pape, Cildo Meireles, Valesca Soares e dezenas de artistas internacionais.

O Museu fica dentro de uma área de Mata Atlântica, com mais de 786 hectares, então separe dois dias da sua agenda para conhecer e caminhar por tudo com tranquilidade e prazer. Atualmente, ele conta com 23 galerias, mas todo ano é inaugurada uma área nova.


Além de arte e natureza, o Instituto Inhotim oferece restaurantes, lojas e deliciosos  espaços de descanso, como 98 bancos do designer Hugo França, espalhados pelo museu. O primeiro foi colocado debaixo de um Tamboril, a árvore que virou símbolo de Inhotim. E oh que legal: os bancos são feitos de troncos e raízes de pequi-vinagreiro, árvore comum na região, que são encontrados caídos ou mortos na floresta.


Bom, não adianta eu falar do quanto eu amei esse lugar, você tem que ir e se deixar encantar.  É, definitivamente, amor à primeira vista! E que vista!


Nenhum comentário:

Postar um comentário